segunda-feira, 7 de maio de 2012

As touradas de certos autarcas

Li estas notícias: http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=549375&tm=8&layout=121&visual=49


 Mas quem é que delegou nestes “senhores” autoridade moral e cultural para decidir isto?

Uma questão tão séria e tão importante não pode “entregar-se”, assim, a “políticos” que fizeram dos lobbys e organizações ligadas à tauromaquia a sua rampa de lançamento na “política”, sobretudo a autárquica, e graças às quais se conseguiram fazer eleger nas suas santas terrinhas, com campanhas escandalosamente apoiadas por dinheiros que das touradas e dos velhos e retrógrados caciques vinham.

Qual servo perante o seu senhor, de forma rastejante, asquerosa, perigosamente acéfala e vergonhosamente imoral, retribuem as benesses recebidas nas campanhas eleitorais com estas decisões que enojam, tanto pela apropriação gratuita, indevida e obscena que fazem da expressão PATRIMÓNIO CULTURAL, como pela forma como, de uma violência psicológica sem limites, utilizam a expressão INTERESSE MUNICIPAL!

Mas o que é isto, meus senhores?

Isto é mais um exemplo, triste, muito triste, da nossa Política! Da nossa Política e do atraso do nosso país! Atraso mental, moral, ético… Conservadorismo e fascismo encapotados, sobretudo nas terras “pequenas” onde meia dúzia de caciques e meia dúzia de “jagunços” controlam tudo e todos, como no tempo da PIDE, agora com outros nomes, sim, mas com os mesmos objetivos: zelar “pela ordem da terra”, “pelos valores da terra”, “pela tradição”, “a bem da Nação”.

O fascismo em Portugal continua à espreita! O fascismo encapotado continua à espreita, sobretudo em terras pequenas como aquelas onde as relações de proximidade e de vizinhança, infelizmente, acabam por levar muitos dos que são contra a calar bem fundo a sua posição e a sua revolta com medo de represálias por parte dos “detentores do poder” mas, sobretudo, dos "padrinhos do poder".

Isto não pode continuar assim! Que raio de país, este, que permite estas aberrações, estes atropelos à democracia, estas exceções à lei?

Mesmo a vergonha e o “crime autorizado” cometido com “a decisão de Barrancos” tem que ser revisto! Não pode ser! Não podemos continuar a assistir passivamente a crimes sem castigo – caso da tortura de animais nas touradas (touros e cavalos) - e à apropriação da palavra TRADIÇÃO e PATRIMÓNIO CULTURAL E LOCAL como se isso bastasse para justificar e fundamentar a violência, crueldade e horrores cometidos contra quem quer que seja, muito menos, contra seres indefesos barbaramente assassinados e barbara e longamente preparados para o “espetáculo”.

“Espetáculo” para gáudio de uma multidão sádica que enche cada vez menos as bancadas das arenas mas cada vez mais os bolsos daqueles lobbys, contribuindo  para o gozo de gente perversa (toureiros, ex-toureiros, ganadeiros, forcados e outros), claramente demonstrativo de evidentes perturbações de personalidade e de afirmação familiar e social.

Trata-se, sem dúvida, de comportamentos desviantes, potencialmente perigosos e cada vez mais notórios, quer pelo semblante que apresentam, boçais, prepotentes, machistas, olhando-nos do alto da sua pequenez (física e intelectual), quer pelas entrevistas que dão “no aconchego do seu lar”, nas TVs, revistazecas, rodeados das suas famílias estrategicamente sentadas em torno “do artista”, com poses ensaiadas de “gente cristã, benta e santa”, como se um serviço a Deus fizessem e o bem no Mundo espalhassem!

Tenham vergonha! Peguem numa enxada e trabalhem a terra que durante 48 anos muitos dos vossos avós, bisavós e trisavós roubaram aos trabalhadores esfomeados das suas herdades (caso do Ribatejo) a troco de humilhações, medo e repressão!

Tenham vergonha, toureiros e afins, e façam verdadeiramente um trabalho digno desse nome!

Tenham vergonha também vocês, povo dessas terras que apoia estes espetáculos cruéis de sangue e dor!

Tenham vergonha da vossa memória curta e do quanto sofreram os vossos familiares às mãos dos grandes latifundiários que, agora, através da geração de abutres que deixaram, continuam a perpetuar essas “boas prática democráticas” e a roubar-vos, no mínimo, o direito à livre expressão do pensamento!

 Há Presidentes de Câmara que metem nojo pela prepotência que têm demostrado ao longo do(s) seu(s) mandato(s) em tudo quanto decidem ou obrigam a decidir, mas, também há autarcas medíocres nas Assembleias Municipais, completamente vendidos a esses lobbys, cujo poder temem, ou não estejam eles lá à sua custa!

Nessas, como em muitas terras, cada vez impera mais o caciquismo na compra dos votos e até na elaboração das listas partidárias e da feitura dos programas!

Numa posição de claro desrespeito para com os eleitores e a Ética e Moral Política, esconderam propositadamente dos seus conteúdos programáticos a sua posição face às touradas e face à proteção dos animais.

URGENTE:

UM REFERENDO EM PORTUGAL SOBRE ESTA VERGONHA QUE NOS ENVERGONHA!

O povo é quem mais ordena!


Nazaré Oliveira

Toureiros & afins

Grande verdade!