sexta-feira, 16 de março de 2012

Há homens lindos...



... homens lindos mas não só "por fora"!

Na página do seu F. Book, a jornalista Clara de Sousa publicou hoje que o actor George Clooney e o seu pai, o jornalista Nick Clooney, de 78 anos, acabavam de ser detidos num protesto à porta da embaixada do Sudão, em Washington.
Estavam entre os manifestantes que acusam o presidente sudanês de estar a provocar uma tragédia humanitária ao bloquear a entrada de comida e ajuda às populações.
O ano passado, apresentei aos meus alunos um trabalho sobre o Darfur e, praticamente, há sempre conteúdos programáticos que permitem abordagens  neste âmbito, quer seja os desastres humanitários e a vergonha que é continuarmos a assistir a genocídios, à fome de milhares e milhares de pessoas, à falta de água potável e até para rega, de medicamentos tão simples quanto um simples analgésico, um antipirético, soro, desinfetantes, vacinas, enfim, o horror dos campos de refugiados, sem falar da morte lenta dos que esperam ajuda que tarda e que muitas vezes chega tarde demais.
Como lhes digo sempre, considero que os Professores e os Jornalistas são cada vez mais as peças importantes para a informação séria e a tomada de consciência que à tomada de posição levará, e que, certamente, contribuirá para MUDAR O MUNDO, este mundo de vergonha, de injustiça social, de desigualdades e contrastes gritantes, mas também de gente abnegada que se dedica a ajudar e a gritar bem alto que ISTO NÃO PODE CONTINUAR.
Sim, é urgente uma nova ordem internacional, um novo paradigma!
Uma nova forma de pensar o mundo em matéria de Direitos Humanos, com SERIEDADE e EXIGÊNCIA, de igual para igual, seja onde for.
Defender VERDADEIRAMENTE quem indefeso sempre esteve e estará, abandonado (s) à (maldita) sorte de uma vida que mais morte parece, entregues a um destino traçado às mãos de ditadores que impunemente sorvem o sangue de corações inocentes, tal a sua sede de poder e a sua fome de glória.
Como digo tantas vezes, a indiferença também mata. Sobretudo, a indiferença daqueles que até podiam marcar a diferença, quer pelo poder económico que têm, quer, também, pelo destaque mediático que o público e a imprensa sempre lhes deu, como é o caso de atores, futebolistas, entre outros.
Felizmente, temos mais um ator, desta vez, George Clooney, um homem com uma enorme visibilidade internacional.
Felizmente que não é só um homem lindo "por fora". É um ativista dos Direitos Humanos e faz o que muitos podiam fazer mas não querem: DAR A CARA!
É um grande exemplo.
Cheios de fúteis e de teóricos estamos nós!
Bem hajas, G. Clooney, tu e milhares de pessoas anónimas por esse mundo fora que nunca se esquecem que há quem sofre e de ajuda precisa. E que ajudam, mesmo que essa ajuda se traduza, pura e simplesmente, na divulgação destes horrores nas redes sociais, redes indispensáveis para o esclarecimento e tomada de posição de todos nós.
Em matéria de Direitos Humanos, isto é, a na defesa da dignidade humana, não há lugar para a neutralidade, quer se trate de países, pessoas ou organizações.
A neutralidade, meus amigos, ao longo da História, tem servido os ditadores.

Toureiros & afins

Grande verdade!