sábado, 25 de fevereiro de 2012

Zeca Afonso, até sempre!



Quem o ouviu e viu neste concerto, neste tema, neste momento, ainda o lembra mais.

O homem que sempre resistiu ao fascismo e lutou contra ele, vê-se e sente-se aqui, também, a lutar contra a doença, com um dos temas mais fantásticos que nos perturba os sentidos, a alma, tal a força que da sua voz brota e do seu peito sai.

É um dos trabalhos que mais me toca, talvez por isso.

O Zeca despedia-se de nós, não se despedindo, e nós dizíamos-lhe adeus como se um até amanhã fosse.

E foi, Zeca! E assim será, Zeca Afonso!



"Admito que a revolução seja uma utopia, mas no meu dia a dia, procuro comportar-me como se ela fosse tangível. Continuo a pensar que devemos lutar onde exista opressão, seja a que nível for", escreveu ele já na fase final da sua vida.


Para saber mais: http://esquerda.net/dossier/dossier-zeca-afonso

Toureiros & afins

Grande verdade!