quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Assassinos em massa




O presidente do Sudão, al-Bashir, é um dos piores assassinos em massa do mundo.

Denunciado pelo Tribunal Penal Internacional por genocídio, massacrou durante 20 anos, repetidamente, comunidades inteiras que lutaram para o retirar do poder.

Bombardeou sem dó nem piedade mulheres e crianças nas montanhas Nuba enquanto os seus soldados, de porta em porta, iam degolando famílias inteiras.

O mundo, as grandes potências mundiais, têm tido uma posição demasiado contemplativa face a estes “Hitlers” e às suas políticas altamente repressivas e criminosas. E tudo, mais uma vez, por causa do “ouro negro”, do “sagrado petróleo” controlado pelo governo sudanês.

Têm reservas de petróleo, riqueza, mas um povo faminto e paupérrimo, um povo moribundo.

As imagens que nos chegam destes ditadores e das suas acções contra o próprio povo em nome das oligarquias reinantes, particularmente na África e Médio Oriente, deviam levar-nos a pensar que uma outra diplomacia internacional terá de ser encetada em nome da democracia, da liberdade, do direito a uma vida com paz para todos e a uma existência digna.

Nada deverá impedir que os países com mais capacidade de intervenção e de organização ajudem esta gente no combate a criminosos e ladrões como al-Bashir e tantos al-Bashirs por esse mundo fora.

Um combate para o qual todos devem estar sempre alerta, sob pena de desaprendermos a lição que a História nos ensina todos os dias e que tantas vezes desvalorizamos, seja nos jornais, nas TVs, nas aulas, nos emails que recebemos.

É revoltante ver morrer inocentes às mãos dos seus próprios governantes e das impunidades de que gozam.

Prepotentes, matam o seu próprio povo com armas mas também com a fome, a sede, a falta de investimento e a não exploração sustentada dos seus recursos naturais dos quais só os próprios beneficiam - uma minoria!

Fome de alimentos mas também de justiça.

É impossível imaginar o desespero e o terror que estes povos sofrem nas mãos destes ditadores mas não é impossível combatê-los.

Nazaré Oliveira

FONTES:

Genocídio e limpeza étnica ameaçam Sudão
Exército do Sudão do Norte é acusado de cometer assassinatos étnicos



Toureiros & afins

Grande verdade!