quinta-feira, 2 de junho de 2011

Síria, Sírias...a barbárie até quando?


Quando peguei no jornal e, de imediato, olhei para a fotografia do menino de 13 anos - Hamza - torturado e morto pelo regime sírio, senti uma vontade enorme de me juntar aos milhares e milhares de pessoas, de mães, que choram os seus filhos assassinados pelos ditadores e por regimes de terror, caso da Síria e de tantas Sírias que por aí se escondem...
E desejei estar lá, na multidão, sedenta de justiça e preparada para um combate que é global e urgente e que a todos nós diz respeito: a defesa dos Direitos Humanos. A defesa da Vida.
A luta contra a barbárie.
Segundo a notícia, o corpo de Hamza Ali al-Khateeb, de 13 anos, foi torturado pela polícia síria de tal maneira que o seu rosto ficou desfigurado. O corpo do menino tinha buracos de balas e de queimaduras de cigarros no peito, pescoço partido, maxilar desfeito e pénis cortado.

"A tortura é habitual na Síria. Não é algo novo nem estranho. O que é especial em relação a Hamza é que ele só tinha 13 anos. Era uma criança. Foi isso que chocou todos os sírios, mesmo os que ainda não decidiram se querem ou não participar nos protestos", disse numa entrevista por Skype ao Washington Post Razan Zeitouneh, um advogado de direitos humanos que está escondido em Damasco. 01.06.2011 - 14:52 Por Sofia Lorena, PÚBLICO

A REVOLUÇÃO NÃO PODE ESPERAR! NEM A JUSTIÇA!

Toureiros & afins

Grande verdade!