terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Na Síria... mais crimes contra a Humanidade!

A ONU pede ação para conter a violência na Síria que já matou mais de 5 mil pessoas.

A Alta comissária dos Direitos Humanos reuniu-se com Conselho de Segurança, a portas fechadas, nesta seguda-feira; ela se disse alarmada como relatos de aumento de operações militares na cidade de Homs.

A alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas, Navi Pillay, pediu à comunidade internacional que tome medidas urgentes para evitar uma situação de violência sectária na Síria.

Segundo Pillay, “várias fontes estão alertando para a iminência de um grande ataque militar à cidade de Homs”, onde se concentram muitos opositores do presidente Bashar al-Assad. O país árabe está enfrentando protestos por democracia desde meados de março.
Nesta segunda-feira, Navi Pillay reuniu-se com membros do Conselho de Segurança e afirmou que o número de mortos pela violência política já ultrapassa 5 mil.

No encontro, à porta fechada em Nova York, Pillay disse que não tem como confirmar os relatos de uma operação iminente, mas segundo ela as indicações são críveis.

O Escritório de Direitos Humanos foi informado de que centenas de tanques e armamentos pesados foram enviados a Homs, nos últimos dias. Trincheiras foram construídas ao redor da cidade e dezenas de postos de controle foram instalados na região.

A alta comissária disse que há imagens de vídeo mostrando corpos nas ruas, prédios crivados de bala e tanques do exército em áreas residenciais. Mas segundo Pillay, não é possível atestar a veracidade das imagens. O governo sírio proibiu a entrada de uma Comissão de Inquérito da ONU ao país afirmando que a decisão de investigar a violência era “tendenciosa e 100% política.”

Entre as vítimas da violência na Síria estão civis e militares desertores que se negaram a atirar em civis.

A alta comissária da ONU afirmou temer que a repressão aos manifestantes, em breve, coloque a Síria numa situação de guerra civil.

Lembrou que o governo sírio está a ignorar a reprovação internacional sobre o que está ocorrendo no país.

A alta comissária pediu ao presidente al-Assad que publicamente “dê uma ordem para que as suas forças de segurança não cometam violações dos direitos humanos em Homs”. Fez esta declaração após uma entrevista à rede americana ABC na qual Assad afirmou jamais “ter dado ordens às suas forças para matar civis.”

Navi Pillay pediu ao Conselho de Segurança que fale “com uma só voz” e tome “medidas urgentes e decisivas” para proteger os sírios.

Segundo ela, foram cometidos crimes contra a Humanidade no país.

Fonte: RÁDIO ONU

Toureiros & afins

Grande verdade!