segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Dia de Silêncio


Mais um livro que recomendo vivamente. De um escritor que, a partir do momento em que li esta obra (há tantos anos!), passou a fazer parte da minha lista de autores preferidos. Tahar Ben-Jelloun.
Simplesmente apaixonante. Pelo humanidade, pelo realismo mas também pela forma sublime e melodiosa como nos fala daquele homem, daquele velho, no seu quarto, mergulhado na vida das suas recordações mas que se mantem atento e interessado a tudo quanto ouve, julga ouvir ou parece ver.
Neste homem, nesta sua forma de se agarrar à vida, quantos de nós julgarão ver (e verão!) a realidade a nossos olhos colocada, diariamente, quando olhamos para os velhos, perscrutando o dia, a rua, as gentes que passam, através da vidraça, ou então, para sempre acamados, revivendo pelos sons que lhes chegam do exterior, sentem nos olhos, no coração, uma vida que lhes passa devagar, muito devagar, solitariamente, ás vezes sorrindo e outras vezes chorando.

* O meu exemplar é da Bertrand Editores. Como não consigo imagem deste, vai a capa da ed. espanhola, que acrescenta "Tânger" ao título. 

Boas leituras!

Consultas que sugiro sobre este autor:

Toureiros & afins

Grande verdade!